Na primeira pesquisa de 2022, Lula aparece com 22 pontos à frente de Jair Bolsonaro

Na primeira pesquisa de 2022 sobre as intenções de voto para presidente, realizada pela Genial Investimentos e Quaest Consultoria, divulgada nesta quarta-feira (12), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece na liderança. Se a eleição fosse hoje, petista teria quase o dobro dos votos do atual mandatário.

No primeiro turno, Lula teria 45% dos votos, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que aparece com 23%; o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça Sergio Moro (Podemos), com 9%; o ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 5%; o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), 3%; e a senadora Simone Tebet (MDB), com 1%.

O levantamento ouviu 2.000 pessoas, com 16 anos ou mais, de 06 e 09 de janeiro. As entrevistas foram presenciais. O índice de confiança, segundo o instituto, é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00075/2022.

(Co informações do UOL)

Secretário de Bolsonaro é exonerado após pronunciamento semelhante a de ministro de Hitler

Foto: DIVULGAÇÃO/SEC. ESPECIAL DA CULTURA | Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro exonerou o secretário nacional da Cultura, Roberto Rego Pinheiro, conhecido como Roberto Alvim, que fez um discurso no qual usou frases semelhantes às usadas por Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Adolf Hitler durante o governo nazista. Goebbels era antissemita radical e foi um dos idealizadores do nazismo.

Assim como Goebbels havia afirmado em meados do século XX que a “arte alemã da próxima década será heroica” e “imperativa”, Alvim afirmou que a “arte brasileira da próxima década será heroica” e “imperativa”.

Roberto Alvim:

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada”

Roberto Alvim:

“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”

FONTE: G1

Roberto Rocha emplaca secretário no governo Bolsonaro

O Diário Oficial da União desta quinta-feira traz a nomeação de Pedro Ronald Maranhão Braga Borges para o cargo de secretário nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, informa a Crusoé. A indicação de Pedro Maranhão (ex-chefe da Casa Civil no governo José Reinaldo) é atribuída ao líder do PSDB no Senado, Roberto Rocha, um dos tucanos mais próximos do presidente Jair Bolsonaro. Roberto Rocha e Bolsonaro estiveram juntos há uma semana, conforme a imagem acima. Rocha também foi o responsável pela indicação de Maura Jorge na Funasa e ajudou na escolha de Natalino Salgado para reitor da Ufma.

Nova Iorque, Município do Maranhão, teme ser extinta pelo governo Bolsonaro

O temor mais recente de Nova Iorque surgiu na semana passada, com o nome de PEC do Pacto Federativo, proposta de emenda à Constituição feita pelo governo Bolsonaro que inclui a extinção de todos os municípios com menos de 5.000 habitantes que tenham menos de 10% de receita própria.

Placa posicionada na entrada da Nova Iorque maranhense — Foto: Helen Lopes

“Fiquei estarrecida, indignada, triste. O maior problema que enfrentamos no Brasil, no Maranhão e em Nova Iorque é a distribuição de renda. O governo pretende reduzir repasses federais quando, na verdade, deveria aumentá-los. Nós precisamos de pessoas que nos ajudem, não de pessoas que nos tirem do mapa” – afirmou à BBC News Brasil a prefeita Mayra Ribeiro Guimarães, filiada ao mesmo partido do presidente Bolsonaro, PSL.

Segundo estimativa do Ministério da Economia, essa medida( PEC do Pacto Federativo) pode gerar uma economia anual de R$ 250 milhões a R$ 500 milhões, ao reduzir os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principal fonte de receita da maioria das cidades brasileiras.

FONTE:G1-MA