Alckmin será vice de Lula, Haddad concorrerá ao Senado e Márcio França, ao governo de São Paulo

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin se desfiliou do PSDB nesta quarta-feira (15/10), depois de 33 anos de partido, para sedimentar sua candidatura a vice-presidente na chapa do ex-presidente Lula, do PT. Alckmin deve se filiar ao PSB.

Pelo acordo proposto nos últimos dias, além de Alckmin como vice de Lula, Fernando Haddad tende a disputar uma vaga para o Senado por São Paulo e Márcio França concorrerá ao governo paulista. Foi uma exigência do PSB para apoiar a aliança Alckmin e Lula. O acordo será detalhado aos poucos.

A aliança entre o agora ex-tucano e o petista agrada outros partidos de esquerda e de centro-direita. “É preciso ter uma chapa de equilíbrio”, afirma um congressista. A aliança entre Lula e Alckmin ainda passa pela criação de uma federação de partidos de esquerda. “Isso indica que os 26 estados e o Distrito Federal estarão coligados. Isso resolve muita coisa”, acrescenta.

Brasília, 15h27min

“Quero ser escolhido pelo Flávio Dino como a candidatura prioritária dele”, diz Felipe Camarão ao anunciar projeto de concorrer ao Governo

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, protocolou ontem, na sede do diretório regional do PT, no bairro do Cohafuma, em São Luís, duas cartas nas quais ele expos o seu desejo e disposição de representar o partido como candidato na sucessão do governador Flávio Dino (PSB), em 2022.

“Quero representar os mais de 60 mil filiados do PT no Maranhão; representar o maior partido de esquerda da América Latina; representar este partido que é do campo político do governador Flávio Dino. Quero fazer a construção desta pré-candidatura de baixo pra cima, com a base do partido, para que a gente possa sentar na mesa e, se Deus quiser, ser escolhido pelo governador Flávio Dino como a candidatura prioritária dele aqui no Estado do Maranhão”, afirmou.

Camarão disse que respeita as demais pré-candidaturas do campo governista – senador Weverton Rocha (PDT), vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o secretário Simplício Araújo (Solidariedade). E afirmou que, de forma democrática, também deseja que o seu projeto seja respeitado.

Informou, ainda, que, a partir de agora, procurará outros partidos aliados, como PSB, PC do B, Rede e PSOL, por exemplo, para estabelecer um diálogo franco e planejar novos movimentos políticos visando 2022.

PSB aprova resoluções sobre fundo eleitoral, escolha de candidatos e prorrogação de mandatos em diretórios

A Comissão Executiva Nacional (CEN) do PSB aprovou, por unanimidade, resoluções que tratam da gestão do fundo especial de financiamento de campanha, da prorrogação de mandatos dos membros dos diretórios estaduais e municipais, e da formação de coligações e escolha de candidatos em capitais e cidades com possibilidade de segundo turno.

Sobre a divisão dos recursos do fundo eleitoral, a aplicação dos recursos que cabem ao PSB foi definida da seguinte forma: 30% serão destinados exclusivamente às candidatas mulheres do partido ou da coligação; 60% para as campanhas de prefeito, vice-prefeito e vereadores; e 10% serão contingenciados e utilizados no segundo turno das eleições majoritárias.

As Forças Políticas do Maranhão e às Eleições 2020 e 2022. ANÁLISE POLÍTICA

O Momento é de Ebolição nos partidos políticos no Maranhão, troca de comando nas Direções Estadual e Municipal das legendas, com o fim das coligações proporcionais, e a chamada cláusula de desempenho que muitos partidos pequenos não cumpriram nas últimas eleições, a tendência é o desaparecimento das chamadas siglas de aluguel, nesse novo cenário algumas forças políticas buscam se consolidar, para elegerem o maior número de prefeitos e vereadores para chegarem fortes para 2022, em busca da vaga deixada por Flavio Dino no Palácio dos leões e da cadeira de Roberto Rocha no Senado, no grupo do governo, destacam-se o PDT do senador Weverton Rocha, o REPUBLICANOS do Vice Governador Carlos Brandão, o PL do Deputado Josimar Maranhãozinho, o DEM do Também Deputado Federal Jucelino Filho e o PCdoB do Governador Flavio Dino, no Campo da oposição são notáveis o crescimento dos Deputados Aluízio Mendes do PSC e Eduardo Braide do PODEMOS, Maura Jorge não conseguiu nem mesmo o comando do seu partido o PSL, mas é uma liderança em ascensão, dos 24 maiores municípios do Maranhão, tudo indica que o bloco do Governo continuarão com a maioria, deve perder São Luís para Eduardo Braide do PODEMOS , mas ganhará Imperatriz com Professor Marco Aurélio do PCdoB, deve manter Açailândia com Aluízio, SD, Timon PDT, Caxias com Cleide Coutinho PDT, Codó com Zito Rilin PDT, Santa Inês Bringel, DEM, Zé Doca PL, Pinheiro, Luciano Genésio PP, São José de Ribamar Com Eudes Sampaio, e Paço do Lumiar com Paula da Pindoba, Viana, Carrinho PL, São Bento, Luizinho do PCdoB, Santa Luzia do Tide França do PCdoB, Balsas, São João dos Patos, Chapadinha, Itapecuru , Barreirinhas , Tuntum, Fernando Pessoa SD, Presidente Dutra, a Oposição deve fazer além de São Luís, Coroatá com Ricardo Murad, Barra do Corda com Rigo Teles e Bacabal com Roberto Costa, para 2022 o cenário hoje aponta, Carlos Brandão do REPUBLICANOS no Cargo disputando a Reeleição com um Vice indicado pelo PCdoB que deve ser o atual Secretário da SINFRA Cleyton Noleto, que vem muito forte da Região Tocantina, e o Senador indicado pelo PDT, que tem tudo pra ser o hoje prefeito de São Luís Edivaldo Holanda JR.
A chapa da Oposição deve ter Roberto Rocha PSDB Governador, Maura Jorge PSL Vice e Josimar Maranhãozinho PL Senador.
Há outras possibilidades mas isso é assunto para outra matéria.
É aguardar e conferir !
Jornalista Zaqueu Serra Reg. 1817 MA.
Jornalista Zaqueu Serra

Jornalista Zaqueu Serra Reg. 1817 MA.
Jornalista Zaqueu Serra