Dino reafirma apoio a Brandão, aceita ser candidato de Weverton e Simplício ao Senado, mas deve avançar em mudanças em secretarias

O governador Flávio Dino (PSB) reafirmou nessa segunda-feira (31) que seu candidato ao Palácio dos Leões na eleição de 2022 é o vice-governador Carlos Brandão (PSB).

Postulante ao Senado, Dino não rejeitou apoio do senador Weverton Rocha (PDT) e do secretário de Indústria e Comércio Simplício Araújo (SD), que preferiram deixar a base e seguir com pré-candidaturas próprias ao Executivo, mas deve avançar em mudanças em secretarias no Estado.

Visando a maior unidade possível em torno de Brandão, Dino pretende aguardar a entrega de cargos ainda nesta semana por aqueles que quiserem seguir em oposição ao decidido pelo grupo. Quem não entregar, porém, já recebeu o alerta antecipado que será substituído.

A escolha do novo secretariado está sendo acordada diretamente com Carlos Brandão. O objetivo é que quem seja nomeado agora permaneça no cargo após Flávio Dino renunciar ao mandato, no final de março.

PSB confirma pré-candidatura de Carlos Brandão ao Governo do Maranhão

O PSB confirmou  nessa segunda-feira (31) em São Luís a pré-candidatura do vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSDB), ao Governo do Estado.

O ainda tucano afirmou, durante entrevista coletiva no Palácio dos Leões, que vai mesmo deixar o PSDB para se filiar ao PSB e disputar o Governo do Maranhão. O nome do vice-governador Carlos Brandão foi anunciado pelo governador Flávio Dino do PSB, durante a reunião que aconteceu no Palácio dos Leões e contou com a presença de políticos aliados.

O governador Flávio Dino confirmou o apoio à pré-candidatura de Carlos Brandão ao Governo do Estado. Depois de receber o apoio do governador, Brandão participou de uma entrevista coletiva e esclareceu vários pontos de sua pré-candidatura.

Brandão deixa de ser escolha e vira projeto pessoal de Flávio Dino

Ao contrário do que vem sendo pregado pelo governador Flávio Dino (PSB) de que, até final deste mês estaria escolhendo quem seria o seu sucessor. O principal o líder do Estado, desde o início do debate sobre a sua sucessão, tem mostrado que não se trata de escolha, e sim um projeto pessoal seu para conduzir o novo governador do estado.

Flávio Dino deixou claro que não importa quem tenha mais vantagem, o que importa, e que o escolhido esteja sob o seu controle, assim como teve Carlos Brandão nos últimos 7 anos.

Na última semana, Flávio Dino, assim como Brandão, foram surpreendidos por uma declaração do ex-presidente Lula, no qual afirmou que não poderia apoiar o vice-governador pelo fato da sua ida para o partido do PSDB, inimigo histórico do PT.

A fala de Lula, surgiu como uma sinalização de um possível apoio a Weverton Rocha (PDT), principal adversário de Brandão, mas, mais uma vez, Flávio Dino foi de encontro a Lula, e juntamente com algumas lideranças do PT, tratou de selar o apoio do ex-presidente a Carlos Brandão, que estaria com sua ida carimbada para o PSB.

FONTE: folhadomaranhao

PSB confirma a filiados entrada de Carlos Brandão

A direção estadual do PSB confirmou nesta segunda-feira, 13, em reunião com lideranças políticas do partido, que o vice-governador Carlos Brandão vai mesmo para a legenda.

– Está 99% certo que Brandão vai pro PSB – afirmou hoje o secretário de Comunicação do governo, Ricardo Capelli, na reunião com os políticos da legenda.

Para tentar manter o controle do PSDB, mesmo após saída de Brandão, Flávio Dino articula a entrada do deputado estadual Fábio Macedo (PSL), que é forte candidato a deputado federal.

Roberto Rocha emplaca secretário no governo Bolsonaro

O Diário Oficial da União desta quinta-feira traz a nomeação de Pedro Ronald Maranhão Braga Borges para o cargo de secretário nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, informa a Crusoé. A indicação de Pedro Maranhão (ex-chefe da Casa Civil no governo José Reinaldo) é atribuída ao líder do PSDB no Senado, Roberto Rocha, um dos tucanos mais próximos do presidente Jair Bolsonaro. Roberto Rocha e Bolsonaro estiveram juntos há uma semana, conforme a imagem acima. Rocha também foi o responsável pela indicação de Maura Jorge na Funasa e ajudou na escolha de Natalino Salgado para reitor da Ufma.